A nostalgia é um ótimo negócio!

Eu cresci assistindo aos Power Rangers, Pokémon, Cavaleiros do Zodíaco e outros desenhos. Cresci jogando os jogos do Mario, Zelda e Donkey Kong. O fato é que ultimamente estamos assistindo a uma enxurrada de produtos da época dos anos 90 entrando no mercado. Por que isso está acontecendo? É o que veremos nesse post!

Quem é daquela época provavelmente se lembra da dificuldade que era conseguir aquele boneco do Jiraya, dos Changemans ou os tão desejados bonecos dos Cavaleiros do Zodíaco da Bandai (que você colocava as armaduras nos bonecos). Eram bonecos caros e que provavelmente não ganharíamos, a menos que você tivesse um pai que possuísse dinheiro suficiente para querer gastar 100 reais em um produto que ele encontrava “similar” no mercado paralelo (para não falar camelôs). Por quantas vezes não nos deparamos com a frase: “vou te dar esse boneco, mas ele vale para seu presente de natal também, ok?”? Conseguíamos as coisas após implorar e implorar muito. Realmente não era fácil ter as coisas naquela época.

cavaleiros
Os bonecos dos cavaleiros do zodíaco

A ideia do mercado sempre foi a seguinte: crianças imploravam por brinquedos e os pais decidiam se iriam gastar o dinheiro ou não. As marcas trabalharam duramente nessa filosofia de mostrar seus produtos para as crianças, na esperança de que elas pudessem convencer os pais à comprá-los. Bem, isso tem mudado recentemente. As empresas têm enxergado na nostalgia um mercado muito promissor! Afinal, por que convencer as crianças a comprar um produto sendo que elas podem atingir a criança interior do adulto? Os adultos são os que possuem o dinheiro, não as crianças! E os pais adoram compartilhar itens e emoções de suas infâncias com os seus filhos, não é?

Ora, isso nada mais é do que a boa e velha nostalgia! Seu significado é sentir saudades de algo, de um estado, de uma forma de existência que se deixou de ter; é ter aquele desejo de voltar ao passado e reviver sensações que julga-se não se poder mais. É aquele sentimento que te faz olhar uma velha fotografia e querer voltar àquela época em que a foto fora tirada. É um sentimento tão bacana e puro! E é aí que está a genialidade do marketing nostálgico: quando as empresas vendem um produto baseado nesse quesito, a compra deixa de ser basicamente financeira e atinge o aspecto emocional. Acredite: isso torna o processo de venda muito mais fácil e o de compra muito menos doloroso! Já dizia Walt Disney:

Você está morto se seu foco for somente as crianças! Afinal de contas, os adultos são apenas crianças crescidas.

Ora, quando a Nintendo atinge o topo dos assuntos mais falados na internet com o relançamento de um dos seus videogames clássicos é que vemos o poder da lembrança na vida das pessoas. Ela cobrará 50 dólares pelo console com 30 jogos! Porém acredito que ela venderia facilmente o seu produto por 100 dólares, se quisesse. Afinal, o lado emocional das pessoas fora fisgado logo no anúncio. E não foi a primeira vez que vimos a nostalgia sobressair. Há diversos outros casos! Quer um outro exemplo? Basta olhar as fases feitas pela comunidade do aclamado jogo Mario Maker para Wii U! Incontáveis foram as fases construídas utilizando o layout do NES e do SNES em vez dos gráficos super bonitos e detalhados do Super Mario U.  Isso mostra claramente o poder da Nostalgia!

nes
Mini-NES veio pra deixar muitos adultos morrendo de vontade de tê-lo novamente!

Outro exemplo: Pokémon GO. Claro que há crianças jogando e isso não envolve a nostalgia! Mas há que se destacar que boa parte dos adultos também estão jogando única e exclusivamente por causa da sensação de voltar à querida infância.

Uma rápida pesquisada no mercado e vemos que a quantidade de produtos é gigantesca e vai desde jogos de videogames inspirados em franquias antigas (seja graficamente, seja inspirado na franquia propriamente dita) até brinquedos e hot-toys (que alguns tem tantos detalhes, mas tantos detalhes, que é impossível não querer um para expor na estante).

Claro que existem maneiras certas e erradas de se utilizar a nostalgia para vender produtos. Porém, se você utiliza a nostalgia como base para construir um produto novo e moderno mantendo as características que o fizeram tão amado, você consegue fisgar o seu público e ganhar um bom dinheiro com isso. E não há nada de errado ou ruim nisso! É sempre bom termos lembranças e reviver o passado, não é? Se uma empresa te oferece isso por um preço justo, que mal tem? Além disso, é sempre bom podermos compartilhar e ser criança novamente e passar o sentimento que tivemos para os nossos filhos, sobrinhos, afilhados, etc. Repito: não há nada de errado nisso!

Somos todos crianças, apesar do tamanho!
Somos todos crianças, apesar do tamanho!

Por isso, quero fazer um convite a vocês, leitores! Vamos compartilhar itens e momentos nostálgicos (podendo ser inclusive momentos vividos atualmente, mas que remetam a sua infância). Vamos mostrar às crianças as brincadeiras antigas, os jogos antigos, pois com certeza elas se divertirão e você também. Se você quer aquela action-figure, aquele amiibo, ou qualquer outro “brinquedo”, compre! Eu mesmo tenho alguns amiibos em casa que não uso para jogo algum e que comprei com um preço bem bacana! Olhá-los me remete à momentos que vivi e que quero relembrar pra sempre! Eu sigo sempre a filosofia do Chaves, o qual deixo falar por meio do vídeo abaixo:

Dito isso, até o próximo post!

Gostou? Compartilhe!

Tovar

Nintendista desde os 8-bits, pulei somente a geração GameCube (que recuperei com o Wii). Sou fã de The Legend of Zelda, Donkey Kong, Mario, Mega Man, etc. Resumindo: sou fã de jogo bom!