Depois de tanto hype e muita espera por um título Zelda, Breath of the Wild chegou com as expectativas no auge, sendo considerados por muitos críticos um dos maiores jogos de toda a história. Uma franquia com tanto peso e adorada pela NL não podia passar despercebido e, depois de alguns dias salvando Hyrule, damos aqui nossas primeiras impressões do jogo:


Tovar

Quando esse jogo foi lançado eu estava com uma expectativa muito alta, elevada ao infinito. Não aguentei esperar e comprei esse jogo em mídia digital (coisa que geralmente não faço). Apesar da minha expectativa alta e possibilidade grande de me frustrar, o jogo estraçalhou meu hype e o reduziu a nada. O jogo é fantástico, levei horas e horas simplesmente andando pelo mundo (e que mundo!), explorando-o e subindo em montanhas com a única intenção de vislumbrar o cenário. O jogo está lindíssimo! O som ambiente, sem música em vários momentos, faz você ter uma integração única (e bastante pessoal) com uma Hyrule desolada e com toda a natureza do jogo.

O jogo possui sim quedas de framerate na versão do Wii U (não possuo o Switch para analisar), mas essas quedas em nada atrapalham o esplendor desse jogo magnífico. Para mim, por enquanto, é o melhor jogo que já joguei na vida.


Will

Meu amor por jogos de mundo aberto surgiu quando joguei Skyrim pela primeira, desde então joguei de tudo e nada me fez sentir tão empolgado com um mundo gigante quanto o novo Zelda. A liberdade que o jogo te da para explorar cada canto usando e abusando da física do jogo é impressionante! Os detalhes fizeram toda a diferença no jogo que tem uma ar de real nele. Você se sente em mundo de verdade e isso é algo que eu desejava reencontrar em um jogo.

Roubando uma nota da internet: Open World Perfection.


Jow

O jogo é lindo e não deve nada para um AAA da nova geração, independente do mundo gigante e dos gráficos Cell Shading, há alguns engasgos, teve um momento que a tela travou por 1 segundo após eu matar um inimigo, mas em geral a queda de frames não atrapalham. A grande sacada de Breath of the Wild, além de todas as qualidades que todo mundo encontrou, é que ele é um Zelda até pra quem não curte a franquia, os elementos de RPG e sobrevivência são um bônus em um universo cheio de referências e magia de TLoZ, como dungeons e as raças clássicas da franquia. O Craft e armas finitas têm me agradado bastante, apesar de ainda não ter encontrado um desafio muito grande nessas novidades; a trilha sonora é fabulosa (dica: joguem um pouco sem HUD), a mudança de comportamento do fundo musical conforme você vai progredindo é de um cuidado fora de série, dá pra perceber que aquilo foi feito com muita dedicação. (Estou jogando no Wii U, +- 20h de jogo)

Como jogo, o melhor Zelda de todos os tempos.


Terry

A primeira sensação quando você inicia o game e percebe toda a liberdade que tem, não pode ser outra senão “UAU!!!”. Pela primeira vez na história das franquias da Nintendo, temos um game que é definitivamente um mundo aberto, com inúmeras áreas e inúmeras surpresas no caminho.

Entretanto acredito que o que torna este game IMENSO, não é somente o tamanho de seu mapa, e sim a imensidão de detalhes técnicos relacionados a física do game, a sua jogabilidade, seu enredo e até mesmo seu bom humor em alguns momentos. Para os fãs mais antigos da franquia Zelda, de início é estranho o Link saltar, não haver corações para recuperar a vida e também o fato de agora haver dublagens. Porém, o que mais me fez falta foi a ausência da saudosa música tema de Hyrule Field durante a exploração, mas mesmo o silêncio que deixaram, completa a sensação de você estar explorando a imensidão do desconhecido.

PRÓS: Jogo absurdamente sensacional, liberdade extrema, inúmeros detalhes, enredo maravilhoso.

CONTRA: Quedas de frames notáveis em alguns momentos.

OBS: Nunca vi tanto a tela de Game Over em um jogo da Franquia Zelda como estou agora.


Urso

Um jogo que eu esperei tanto, que chegou até um momento que desisti de esperar, não acreditava mais que iria sair para o Wii U. Mas quando as confirmações vieram, vídeos, data de lançamento, não teve como, todo o hype voltou, e voltou muito forte. Um hype tão grande que poderia gerar grande frustração ao jogar, mas pelo contrário, superou todas as expectativas! Esse jogo mudou toda a mecânica de Zelda (o link até pula), mas sem tirar sua essência, um mapa gigantesco a nível de The Witcher e uma direção artística fora de série.

Outro ponto que não pode ser deixado de lado, é a física no jogo, está muito trabalhada, detalhes como se você usar um escudo de metal em uma tempestade com raios, pode atrair um raio pra você. Únicos dois pontos ruins que observei no jogo são de fato os drops de frames em situações com muitos elementos/inimigos, e um anti serrilhamento ruim, infelizmente isso é devido as limitações de hardware das plataformas Nintendo, porque parece que o problema persiste no Switch. É triste ver um game desse nível não poder rodar em seu máximo. Mesmo assim esse jogo vem sendo minha melhor experiência em games nos últimos 10 anos pelo menos, ressucitou meu Wii U que já estava um longo tempo servindo como Netflix (rsrsrs), só não desbancou (ao menos ainda) a posição de Ocarina of Time como melhor jogo de todos os tempos.


Dixie

Confesso que não estava com tanta expectativa pra esse Zelda, pois como pulei várias gerações de consoles, acabei não jogando alguns jogos da franquia. Porém, quando chegou o dia do lançamento, não aguentei a curiosidade e tive que jogar. Resultado: parei a vida por algumas horas e virei Link! O jogo é lindo, com paisagens fantásticas, que te fazem parar no jogo e ficar só admirando. O mundo é gigantesco, dá vontade de explorar cada cantinho e o som da grama se movendo ao caminhar me faz sentir realmente imersa naquele mundo. Não notei nada que atrapalhasse a experiência até agora. Vale muito a pena!


Agora queremos saber de vocês! Quais foram as suas impressões iniciais sobre este jogo?

Este post foi escrito por Nintendo Lovers

Veja outros posts de

  • Rubens Mateus Padoveze

    quem sabe logo saberei por mim mesmo ^^

    • NintendoLovers

      Olha aí! Jogue e depois nos diga! Rsrsrs