Entrevista especial com Patricia Summersett, a Zelda de BotW

Seja Sociável, Compartilhe!

Mais uma vez, tive a oportunidade de conversar com uma pessoa que fez um excelente trabalho no mundo dos videogames (a primeira foi com Barry Leitch – compositor do Top Gear). Dessa vez, o o trabalho feito foi na franquia de jogos que eu mais gosto: The Legend of Zelda. Caros leitores, com vocês: Patrícia Summersett, a dubladora de Zelda.


1) Primeiramente, nós queremos agradecê-la e te parabenizar pelo seu trabalho no jogo The Legend of Zelda: Breath of the Wild. Você poderia se apresentar para os nossos leitores?

Meu nome é Patricia Summersett. Eu trabalho como atriz de palco, tela e dublagem. Eu cresci na zona rural de Michigan/EUA. Sou canadense e americana e viajo muito para lá e para cá. Eu também gosto de cantar, escrever, viajar e provar novas comidas.

2) Você é uma gamer? Se sim, que tipo de jogos você gosta?

Sou uma jogadora casual. Eu brinco com os jogos para ter uma ideia deles e apreciá-los, mas é muito difícil achar tempo para jogá-los inteiros. Dito isto, eu estou jogando BotW muito lentamente no meu Switch. Eu gastei em torno de 20 minutos usando o magnesis para espetar um garfo [item usado em zona rural] no traseiro de um bando de cabras preguiçosas. Eu me distraio. Além de BotW, na última semana eu conheci um jogo indie antigo chamado “Never Alone”, do XBox. Eu adorei o jogo! Outros jogos que joguei recentemente: Horizon Zero Dawn, Resident Evil VR, Stanley Parable.

3)Você tinha alguma conexão com a franquia Zelda antes de BotW? Como foi para você fazer parte desta experiência?

Eu conheço bastante a franquia Zelda e cresci com um NES em minha casa, jogando o primeiro jogo da franquia e jogando bastante de Mario. Joguei Ocarina of Time no colegial e mais recentemente um pouco de Twilight Princess no Wii U e o do 3DS. No que diz respeito à experiência de fazer parte desse jogo, é difícil descrever, foi muito incrível. E eu continuo espantada sobre como isto mudou minha experiência como artista. Eu acho que as aventuras dos jogos agora espelham minha experiência no mundo, quando eu viajo para novos lugares.

4) Como foi o processo de seleção do elenco? Você foi convidada?

Eu fui chamada para uma audição inicial depois de mandar meus trabalhos para diferentes diretores de elenco. A partir daí, eu recebi um retorno. Porém, eu não sabia que jogo era especificamente até depois de eu ter conseguido o papel. Isto é frequente em caso de audições para jogos de videogame.

5) Os jogos da franquia nunca foram dublados. Tudo que tínhamos eram grunhidos e sons esquisitos. Quando eles anunciaram que o novo jogo da franquia seria dublado por atores profissionais nós criamos muitas expectativas, mas ninguém sabia se seria bem recebido pelos fãs. Entretanto, vocês vieram e nos deram uma obra de arte e todos os dias seu trabalho era elogiado por críticos e fãs. Como foi ler, dia após dia, elogios ao seu trabalho?

As pessoas amavam a franquia mesmo antes de eu ter chegado. Então, isto foi ao mesmo tempo fascinante e encantador. Eu sou muito grata às pessoas que tiraram um tempo para me desejar o bem ou que queriam me agradecer pelo trabalho. Sempre vale a pena celebrar pessoas generosas e positivas que se aproximam. É comovente, por ser um jogo que reflete temas do mundo real.

6) Você me disse que é americana-canadense, mas o jogo inteiro é feito com sotaque britânico. Como você trabalhou o seu sotaque?

Eu estudei teatro em Londres para obter meu título de Mestre de Atuação Clássica. Ironicamente um amigo inglês (ex-colega de classe) estava em Los Angeles como ator. Então, muitas vezes trabalhei com ele para fazer treinamento de sotaque. Também já usei um sotaque inglês em outros jogos e apresentações de teatro.

7) Quando você está dublando, você tem uma cena pronta para trabalhar em cima, mas, na maioria das cenas do jogo, a Zelda está conversando com um personagem mudo. É mais difícil dublar quando sua personagem fala com alguém que se comunica por gestos?

O curioso é que não necessariamente. Particularmente, eu não pensava nisso como um desafio. Talvez também pelo fato de que jogos geralmente são gravados fora de sequência e muito da orientação que você recebe vem do diretor (linha a linha do roteiro) para a dublagem. Por causa do teatro me acostumei também com a ideia de coisas como monólogos, em que você diz um parágrafo para alguém que não está lá.

8) A Nintendo é uma empresa que guarda seus jogos e criações a sete chaves, especialmente jogos das franquias Zelda e Mario. Como foi guardar segredo de tudo que envolvia o projeto? Eu imagino que o sentimento de querer contar algo para todo o mundo e não poder é horrível. 

Foi um segredo realmente difícil de guardar, e eu estava com muito medo de vazar isso de alguma forma. Porém, eu estava igualmente paranoica com a possibilidade do projeto não acontecer depois de ter guardado segredo por tanto tempo. No entanto, eu nunca considero essas coisas como certas.

9) Você chegou a conhecer Kengo Takanash (a voz do Link), Shigeru Myiamoto ou Eiji Aonuma? Se sim, como foi?

Eu não os conheci pessoalmente, mas eu participarei da E3 2017. Talvez os conheça lá no evento, talvez mais pra frente! Conhecê-los pessoalmente, apertar as mãos, será…. um momento muito intenso de minha carreira e de minha vida.

10) Podemos contar com você no próximo jogo da franquia Zelda?

Esta eu não posso responder nem tenho ideia.

11) Há alguma outra personagem dos videogames que você gostaria de dublar? Oh, eu tenho uma sugestão: talvez você possa ser uma astronauta chamada Samus Aran, do Metroid! Acho que seria perfeito para você!

Engraçado você mencionar isso, pois eu estava pensando nela. Porém, eu também não quero minimizar o trabalho lindo que outras dubladoras já fizeram com a Samus. E Jennifer Hale [dubladora da Samus na série Prime] é com certeza minha heroína. Recentemente estive em um jogo (For Honor – Ubisoft) como um Knight Warden, e ela [Jennifer] era uma Female Warden. Logo, estamos juntas no mesmo time de guerreiras.

12) O que está por vir? Você tem mais algum projeto que possa nos contar?

Se você ainda não viu meu unboxing do Switch (eu não divulguei bem, mas deveria), veja:

 

Eu estou trabalhando em outros jogos secretos e emocionantes. E para a TV, eu aparecerei em alguns episódios de uma série chamada “The Bold Type” que estreará em julho. Fiquem a vontade para me seguir nas minhas redes sociais – @summersett_ no Twitter e Instagram – onde anunciarei as minhas aparições em eventos e novos projetos.

13) Obrigado novamente, Patricia! Você gostaria de mandar uma mensagem para os seus fãs brasileiros?

Obrigada pelo interesse e por celebrar este jogo incrível comigo. Espero conhecer muitos de vocês. A propósito, se você tiver uma fan art, eu a compartilharei nas sextas-feiras de fan art. E eu nunca estive no Brasil, logo se tiver algum evento por aí, considerarei a possibilidade!

Desejo o melhor para vocês!

Beijos e abraços!


Espero que tenham gostado da entrevista. Até a próxima!

Seja Sociável, Compartilhe!

Tovar

Nintendista desde os 8-bits, pulei somente a geração GameCube (que recuperei com o Wii). Atualmente jogo Wii, NDS e Wii U. Sou fã de The Legend of Zelda, Donkey Kong, Mario, Mega Man, etc. Resumindo: sou fã de jogo bom!

  • Rubens Mateus Padoveze

    Que moça simpática. E que bom ter vocês conseguindo uma entrevista com alguém tão importante.

    • NintendoLovers

      Simpática mesmo! Rs

      Valeu Rubens, pela força de sempre! Abração!

  • Claudemir Junior

    Q legal!!! Ela fez um ótimo trabalho no botw 🙂

    • NintendoLovers

      Fez mesmo!

      Obrigado por ler e participar, Claudemir!

  • Marcio Correia

    O timbre da voz dela é perfeito para a Zelda

    • NintendoLovers

      E sim! Ela fez um ótimo trabalho tb! Rs.

      Obrigado por participar