Previsões de Metroid Prime 4

É sempre bom pra mim falar sobre Metroid. Quando se trata de coisa que amamos, é fácil falar. Já escrevi alguns textos sobre a franquia, que podem ser conferidos aqui e aqui. O assunto agora é outro. A Nintendo já nos esbofeteou com uma imagem de Metroid Prime 4 na E3 do ano passado, sem dar absolutamente nenhum detalhe, tal qual o anúncio de Resident Evil 2 Remake da Capcom, foi só um tapa na cara dizendo: Vamo fazê!

Antes de mais nada, vou situar vocês. Imagina você, pequeno padawan, jogando Super Mario World. Encantadíssimo com o jogo, pois já jogou o Super Mario Bros. 3 e agora consegue ter uma experiência até melhor que o anterior. Feliz, você finaliza uma vez, duas vezes, faz todas as saídas. Joga ele de todas as maneiras possíveis. E, de repente, a Nintendo joga Super Mario 64 na sua cara. Lembra daquele menino do Nintendo 64 (Nintendo sixty-fooooooour)? Assuma que você fez igual com o novo jogo do encanador. E pode ter acontecido coisa semelhante com The Legend of Zelda: Ocarina of Time. O crescimento dos jogos foram tamanhos que estão em top10 de muitas e muitas pessoas, mesmo depois de mais de 20 anos.

Com os jogos já conseguindo se habituar perfeitamente em ambientes 3D, como ficaria a migração da franquia Metroid? Poderia ser só mais um jogo em 3D, um collectathon: pegue todos os Larva Metroid prateados, dourados e de Adamantiun em SR388 e Zebes. Mas não, novamente a Nintendo nos surpreende e cria um novo gênero de jogos: Adventure FPS.

Siiiiim, um Metroid em primeira pessoa! Quem imaginaria?? Você que não sabia disso, tenho certeza que já virou os olhos com a notícia.  Mas, por mais surpreendente que foi, o jogo foi perfeito. Novamente mais um nos top10 do mundo, com uma das melhores notas no Metacritic e um dos melhores e mais bonitos jogos da geração! Tudo isso sem perder nenhuma característica dos anteriores como a intensa exploração e ainda mais, superando-as ao colocar o gênero Metroidvania em um jogo de FPS. E repito, definitivamente a exploração nele é absurdamente boa!!

Aí, vem o segundo, Metroid Prime 2: Echoes (adoro esse nome) e sua dicotomia luz/sombras, com direito a Dark Samus e trajes estranhos, mas inteiramente legais. Uma história diferenciada, tendo a ver com o novo elemento da franquia Prime: o Phazon. E ok, outro jogo pra se colocar nos top10 do Gamecube. Aaah, vale citar que ele tem uma exploração dupla, pois tem a dimensão das sombras e a da luz, somando à franquia.

Como a Nintendo gosta de imbuir a Samus com outras coisas, dessa vez não foi um super larva metroid, nem o vírus com gene mutante X e nem com as trevas ou luz; fundiram-na com o próprio Phazon. Tal fusão gerou ótimas habilidades, com visuais lindíssimos. Talvez isso tenha servido como inspiração para as habilidades Aeon em Samus Returns.

Com uma história que abordou outros caçadores de recompensas, Metroid Prime 3: Corruption foi um dos jogos mais bonitos para Wii, transformando o Wiimote no próprio canhão da Samus. Novamente, o ambiente é lindo, a história sensacional e os mundos que você visita são amplos, e o jogo é quase um mundo aberto; ou vários mundos abertos. Particularmente, gosto nesse jogo a forma enigmática que descrevem os ambientes em que você tem que achar determinados objetos no jogo.

Apesar de eu não gostar de sua jogabilidade, veio também o Metroid Prime Hunters para Nintendo DS. Sua história nos apresentou, pela primeira vez, outros caçadores de recompensas e abordou um pouco de suas histórias e motivações.

E então, nós, fãs de Metroid, nos acostumamos a ser carentes da franquia, deixados às traças, a Nintendo nos acorda com o logo abaixo na E3 2017.

E só… Não nos deram nenhuma informação, nem se já estavam produzindo o jogo, se ainda iriam começar, nada. Parece que foi uma decisão de última hora: “- Vamo mostrar? – Ah cara, sei não heim. – Vamo, quem sabe aumenta nossas ações mais um pouquinho, ai aproveitamos e falamos de Pokémon também.” Ao menos anunciaram e lançaram um ótimo Metroid sidescroll para 3DS no mesmo ano, poucos meses depois.

Agora, falando de uma forma mais sonhadora. Desde que anunciaram o Wii U, eu imaginei um Metroid que misturaria a jogabilidade entre 3D, como Other M, e FPS, como a série Prime. Tal qual a imagem abaixo:

Funcionaria assim: enquanto o jogador jogaria normal, poderia atirar normal também como em Other M e o gamepad mostraria a tela em primeira pessoa da Samus. Então, quando o jogador levantasse o gamepad, ou tocasse sua tela no local adequado, habilitaria a segunda tela e o jogo poderia ser jogado em primeira pessoa, andando e atirando normalmente. Poderiam haver também alguma funcionalidade touch para escolher armas e novas habilidades que coubessem nessa jogabilidade. Como possuiria a câmera fixa na lateral, tal qual Other M, seria primordial jogar em primeira pessoa em determinados momentos para se observar mais detalhadamente o cenário. E como a Nintendo não nos decepciona, o jogo fluiria de maneira natural entre os dois modos e teriam muitas novidades nesse método.

E eu continuo meu sonho, com esse sendo o Metroid Prime 4 com o 5 sendo anunciado ano passado.

Mas nem tudo são flores, estamos indo para o 4 e não existe nem existirá possibilidade de um Metroid assim, nunca na Terra!! Então vamos nos contentar com o que temos e partir para minhas previsões. Vou colocar algumas delas listadas aqui.

  • Antes de mais nada, A NINTENDO NÃO LANÇARÁ METROID PRIME 4 ESSE ANO. E é isso. Na E3 teremos um trailer de sinopse, com pouco gameplay, e eles prometendo o jogo para o final de 2019 ou até mesmo 2020. Aí sim, na E3 do ano que vem será possível jogá-lo.
  • A jogabilidade não mudará quase nada, apesar de utilizarem um novo motor gráfico. A jogabilidade será, em grande parte, focada em usar os Joy-con separados. Será possível jogar no modo portátil, porém com uma jogabilidade mais travada. Muitas habilidades dependerão de controles de movimento, utilizando também o IR como sensor de distância. Terá a possibilidade de usar o movimento como mira.
  • Veremos uma prévia das habilidades Aeon apresentadas em Samus Returns. E, obviamente, utilizarão Phazon dessa forma. Depois do incidente em Prime 3, a Federação estudou mais o Phazon, o que tornará possível sua utilização nas habilidades Aeon de Samus, com uma barrinha que será facilmente carregada.
  • A história abordará um pouco mais os metroids e menos o Phazon, sendo o último da franquia Prime e dando abertura para o Samus Returns. Talvez o plot envolva uma invasão de Metroids vindos de SR388, aí a Federação conheceria melhor as habilidades de Samus como Metroid Kicker e delegariam a ela a missão de exterminar todos os metroids em Samus Returns.
  • Como os outros Prime sempre referenciavam os Chozo, Prime 4 não será diferente. E mais, apresentariam um pouco mais da história de Samus, coisa que fizeram somente nos mangás.
  • Sobre a protagonista, depois da Samus Aran waifu que nos apresentaram em Other M e viram o fiasco que foi, em Prime 4 ela continuará como a baddas caçadora de recompensas, com poucas palavras. Terá mais interações com outras pessoas, não tanto como Other M, mas mais que em Corruption, havendo até um momento em que essas pessoas ajudam-na mais de perto.
  • Eu penso em um pet. Semelhante ao que foi o baby metroid em Samus Returns e com um pouquinho mais de influência que os de Super Metroid. Em determinados cenários, uma criatura nativa ajudaria a Samus com visão, um empurrão, ou coisas assim. Eles contarão para fechar 100% do jogo, mas não necessários para uma run normal.
  • Um traje magnético não-roxo, substituindo os trajes roxo de gravidade dos outros jogos.

Penso em outras coisas também, mas por enquanto é só. Sei que muitas coisas parecem absurdas, mas mantive uma linha entre aquilo que eu acho que virá, e o que eu quero que virá.

Você tem alguns chutes do que poderá vir no novo Metroid também? Conte-nos nos comentários. Então, que comece o bolão!!!

Gostou? Compartilhe!

Kiefer Kawakami

Sobre mim: Amante dos games, acredito que eles podem mudar a vida das pessoas e fazê-las mais felizes, bem com aconteceu comigo. Possuo um amor incondicional pela Nintendo desde Donkey Kong Country e Super Metroid. Sou estudante de Licenciatura em Física e pretendo utilizar os jogos de forma lúdica, exemplificando histórias e conceitos. Além disso quero divulgá-los, para que as pessoas vejam a maravilha que são e podem ser.