[REVIEW] Full Metal Furies

Em Full Metal Furies, da Cellar Door Games, você controla um grupo de quatro bravas garotas conhecidas como Furies que resolveram se levantar e lutar contra os Titans.

Com a morte do rei Prometeus, os titans passaram a travar uma guerra de sucessão que está acabando com o planeta e, caso nada seja feito, ele será completamente destruído. Cabe a você, jogador, guiar as garotas em sua jornada que pode estar além das capacidades humanas.

Confesso que inicialmente não entendi bem qual era a do nome do jogo, mas uma pesquisa rápida demonstrou que “furies” são espiritos femininos da vingança ou, em alguns mitos, deusas infernais. O termo Furies combina bem com o que as garotas estão fazendo e tem um tom de “Heavy Metal”.

Entendendo o Jogo

O jogo é uma mistura de RPG com beat-em-up, uma fórmula já vista antes em jogos como Castle Crashers e que funciona muito bem. Quanto aos elementos de RPGs, a forma de progressão é bem diversificada.

Primeiramente, cada uma das personagens tem uma classe com um foco específico:
Tanque: Usa como arma um escudo e pode bloquear alguns golpes.
Lutadora: Usa uma marreta, sendo capaz de causar muito dano e contra-atacar inimigos.
Operador: Usa armas de fogo e robos para lutar.
Sniper: Capaz de lutar à distancia e plantar algumas bombas.

Cada garota também tem quatro ações disponiveis: O botão da esquerda desfere um golpe comum; o botão de cima realiza uma ação secundária como defender com seu escudo ou contra-atacar; o botão da direita usa um ataque especial como plantar bombas ou criar um robô, e finalmente o botão de baixo realiza uma esquiva.

Entretanto, acontece que cada um desses botões/ações tem um equipamento específico que altera o poder de sua personagem e cada um desses equipamentos também possui um level próprio que, ao aumentar, melhora todas as personagens de sua party.

Caso jogue sozinho, você pode alternar entre duas furies, enquanto no modo multiplayer, cada jogador controla uma delas para sempre ter o minimo de dois personagens por fase, num máximo de 4 (nesse caso é necessario quatro jogadores, pois no multiplayer o jogo não deixa um jogador ter mais de um personagem).

Além disso, ainda existe uma vendedora em sua base que, por um precinho nem um pouco camarada, irá modificar os atributos de cada uma das personagens, em uma espécie de árvores de habilidades simplificada. Também existe um armário de relíquias que modificam o jogo e seus personagens permanentemente, sendo que tais relíquias são conseguidas ao completar algumas fases ou resolver os muitos puzzles espalhados pelo jogo em forma de charadas.

Evoluir suas furies é simples, mas ao mesmo tempo um pouco demorado. O interessante seria upar cada uma das 4 personagens para conseguir bons bonus, o que significa repetir as fases várias vezes para ganhar experiencia com os equipamentos de todas as garotas.

Já o jogo em sí é dividido em área, com pequenas fases, no melhor estilo de Super Mario World. A ideia é simples: entre em uma, bata em todo mundo que aparecer na sua frente e repita o processo. Os inimigos, porém, possuem um sistema de defesa interessante: alguns aparecem com uma barreira colorida (De acordo com as furies em seu time) que só pode ser quebrado por um personagem da mesma cor, por exemplo, um inimigo azul só pode receber dano da tanque; o que significa que você se verá constantemente alterando suas duas furies no meio do combate. Ainda existem armadilhas como torretas que disparam contra você e que possuem uma barreira branca e indestrutivel.

Tranquilo não é?

Ao final de cada fase, você tera que enfrentar uma horda de diversos inimigos, geralmente, em um combate bem frenético de tirar o folego. Especialmente quando aparecem uns 4 inimigos com barreiras e um cara grande como um minotauro atirando em você de todos os lados.

Veredito

Em suma: O jogo é bem divertido. Ele tem um tom ao mesmo tempo sério e cômico (que me lembrou o teatro grego), conseguindo ainda entregar um equilíbrio bom entre dificuldade e diversão (especialmente jogando com alguém). É um indie que irá garantir boas horas de diversão para você e seus amigos! E o melhor de tudo? Está em português!

Eu indico o jogo para as pessoas que gostem de RPGs em tempo real ou beat-em-up, ou para aquelas que queiram se divertir com amigos jogando um jogo engraçado e que possui uma boa gameplay.

Gostou? Compartilhe!

Will

Escritor, gamer e youtuber nas horas vagas! Sonha em dia criar um jogo que domine a industria gamer, alem de produzir livros, filmes e criar seu próprio império do entretenimento.